Secção Notícias
Página de EntradaPesquisarMapa do SiteAjudaPerguntas Mais Frequentes
Página de ENtradaPesquisarMapa do SiteAjudaPerguntas Mais Frequentes
AnúnciosDestaquesSubsecção Eventos
saltar menu: ALT+x
Workshop de Fotografia
29 de Novembro de 2014
Museu Monográfico de Conimbriga
29 de Novembro de 2014
Tiago Mota Garcia – info@tiagogarcia.org / 960227060




Jornadas Europeias do Património 2014
27 de Setembro de 2014
Associando-se ao Museu Monográfico de Conimbriga, nas comemorações das Jornadas Europeias do Património, o Orfeon Académico de Coimbra apresenta um espetáculo de enaltecimento de um dos patrimónios mais relevantes da cultura portuguesa e europeia, a música.
Em Conimbriga, onde o património nos leva a viajar pelo tempo e para outras culturas, o Orfeon convida todos os espetadores a acompanhar-nos nesta viagem pelo vasto mundo da música. Uma viagem única pela música de intervenção de Zeca Afonso e Fernando Lopes Graça e pelo Fado, recentemente declarado como Património Imaterial da Humanidade pela UNESCO, não esquecendo outros estilos como o rock, o pop e ainda algumas das obras imortalizadas nos palcos da Broadway.

O Orfeon Académico de Coimbra (OAC) nasce em 1880 pelas mãos do estudante da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, João Arroyo. Estreou-se a 7 de Dezembro do mesmo ano, no Teatro Académico Príncipe Real, em Coimbra, por ocasião das comemorações do tricentenário da morte de Camões, com o nome Sociedade Choral do Orpheon Académico.
Em 1911, o OAC atuou no Trocadero, em Paris, naquela que foi a sua primeira digressão ao estrangeiro. Desde então o Orfeon já pisou quatro dos cinco continentes. Mais recentemente, interpretou a 9ª Sinfonia de Beethoven, inserida nas celebrações dos 500 anos da Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra.
Com 133 anos, o Orfeon Académico de Coimbra brota juventude. Constituído por cerca de 40 coralistas provenientes da academia Conimbricense, e em permanente empenho para manter e continuar a construir esta longa e gloriosa história, é o mais antigo coro português e um dos mais antigos da Europa.
Atualmente, desde de 2008, o Orfeon Académico de Coimbra tem como Diretor Artístico o Maestro Artur Pinho Maria.

Maestro Artur Pinho Maria
Artur Pinho Maria é diretor artístico Orfeon Académico de Coimbra. Licenciado em Direção Musical pelo Conservatório Superior de Música de Gaia, sob a orientação do Maestro Mário Mateus, estudou com Anton de Beer, Edgar Saramago, John Roos, Vianey da Cruz, Jean-Marc Burfin, Peppe Prates, Vasco Pearce de Azevedo, José Luís Borges Coelho, Ivo Cruz, António Vassalo Lourenço e Ernst Schelle. Orienta diversos cursos de direção coral e masterclass de técnica vocal e direção.
É maestro titular e diretor artístico do Coro do Porto de Aveiro, do Orfeão de Vale de Cambra, do Orfeão do Paraíso Social de Aguada de Baixo e do Coro Sinfónico Inês de Castro.
Foi diretor artístico e maestro titular da Orquestra Clássica do Centro, de coros académicos e de coros regionais. Como maestro convidado, dirigiu a Orquestra Filarmonia das Beiras, a Orquestra do Norte, a Orquestra Espoarte, a Orquestra Clássica do Centro, a Orquestra Filarmonia de Gaia e a Orquestra da Fundação Conservatório Regional de Gaia.
Das gravações editadas, destaca a primeira gravação integral dos cadernos I e II de “Fernando Lopes Graça – Canções Regionais Portuguesas” (2007).




Ludi Lusitani – Recriação Histórica em Conimbriga
22 de Junho de 2014
No próximo dia 22 de Junho as Ruínas de Conimbriga transformar-se-ão no maior palco de recriação histórica da época romana. Contamos com a sua presença.
Entrada Livre




Estudos de Cerâmica Medieval. O Norte e Centro de Portugal, séculos IX a XII
12 de Junho de 2014
O Instituto de Estudos Medievais e o Museu Monográfico de Conimbriga têm a honra de convidar V. Exa. para a sessão de apresentação do livro Estudos de Cerâmica Medieval. O Norte e Centro de Portugal, séculos IX a XII(Coordenação de Adriaan De Man e Catarina Tente)
Auditório do Museu Monográfico de Conimbriga, 12 de Junho de 2014, 17h00.
A obra será apresentada pelo Professor Doutor Pedro Carvalho.




Ópera em Conimbriga – La Serva Padrona
10 de Junho de 2014
O Museu Monográfico de Conimbriga, em parceria com a Ritornello Associação Cultural, apresenta como programação cultural para o dia 10 de Junho de 2014, no âmbito da celebração do 52º Aniversário do Museu, a ópera La Serva Padrona.

“Serpina, criada atrevida de Uberto, que dele, no entanto, faz os encantos, serve-o com demora e sobranceria e leva o seu atrevimento a ponto de, primeiro, querer condicionar as saídas do seu patrão e, depois, de se lhe impor como noiva, o que ele recusa. Um criado mudo, Vespone, também ao serviço de Uberto e nem sequer muito bem tratado por Serpina, será dela, porém, precioso comparsa na farsa que levará o amo a aceitar a criada em casamento: tomando a “máscara” de Capitão, numa autêntica rábula de “commedia dell’arte”, faz-se passar por noivo de Serpina, a quem o patrão deverá dar um dote, ou, se o não fizer, tomá-la então para si. A recusa de Uberto em pagar é o triunfo de Serpina, que de criada passa a patroa, desposando Uberto, que acede de bom grado ante a ameaça do terrível Capitão Tormenta.”

O cenário majestoso das Termas do Sul, em plenas Ruínas de Conimbriga, será o palco da realização da ópera. Dia 10 de Junho, pelas 19h00.
Para mais informação e reserva de bilhetes, por favor, contatar através de ritornello.ac@gmail.com ou 915 485 256.






Agora sempre que visitar Conimbriga poderá adquirir uma destas medalhas alusivas ao espaço. XX



O Desenho Revisitado – ciclo de conferências e exposição




English
2002 @ Museu Monográfico de Conimbriga / IPMWebdesign: Mediaprimer.pt